Não jogue a conversa fora!

29 de março de 2016
Júlia Azeredo

“É, vai chover…”

“Pois é, o tempo fechou…”

“Tava precisando mesmo chover, né?”

“Uhum…”

Primeiro tente encaixar essa conversa num cenário, depois pense em quantas vezes na vida, você foi personagem de um diálogo parecido com esse.

Se a gente se sente bobo falando sobre o tempo no elevador ou com o motorista do taxi, imagine falar sobre o tempo num primeiro encontro? Não é simples iniciar, muito menos manter, uma primeira conversa e muitas vezes, não é simples iniciar e manter “a vigésima conversa” (os introvertidos que o digam!) mas passar a vida “jogando conversa fora” também pode ser bem chato! A questão é: como transformar uma conversa fiada em um maravilhoso bate papo?

Normalmente quando conversamos com um desconhecido ou com pessoas que não temos muita intimidade procuramos falar de assuntos de conhecimento geral (quer coisa mais geral do que o clima?). Esses papos se esgotam nas duas primeiras frases e depois a gente fica com aquela cara de paisagem sem saber o que dizer. Para fugir dessas situações comece mudando sua maneira de se comunicar!

Dê dicas de quem você é, ou do que gosta, ao falar de assuntos cotidianos! Por exemplo: “Vai chover” pode virar “Sempre que vai chover eu me lembro da minha terra! É que eu nasci em Belém e lá, chuva tem horário marcado…. (risos) Você nasceu aqui mesmo?” ou “Chuva me deixa sempre com vontade de ficar em casa assistindo filme… Outro dia mesmo assisti um ótimo de ação… Você gosta de cinema?”

Você pode experimentar responder comentários padrão com um pouco mais de criatividade. O “Está mesmo!” para “Está calor hoje!” pode ser substituído por “Calor assim dá uma vontade danada de tomar sorvete!” ou “Devo chegar em casa e encontrar meu gato deitado no chão da cozinha, quando está calor é assim!”

Você pode fazer a mesma pergunta de várias maneiras, porque encerrar o assunto com apenas uma resposta? “Como foi o seu dia?” é diferente de “O que você fez hoje?”

Seja mais espontâneo e quando menos se der conta, estará de fato tendo um diálogo e não apenas preenchendo o vazio do tempo com amenidades. Esteja aberto a novas experiências, nunca se sabe o que se pode aprender ou ganhar com uma conversa de elevador!