Resumir ou não resumir, eis a questão

14 de setembro de 2016
Júlia Azeredo

Se o cinema é a sétima arte, fazer trailers de filmes deveria ser a oitava. Já perdi a conta das vezes em que sai do cinema planejando ver outro filme no maior estilo “nunca te vi, sempre te amei”.  <3

(#amorelove)

E também das incontáveis em que já desisti ou nem cogitei ver alguns por conta das sinopses mal feitas ou que expunham as tramas exageradamente (apenas parem!).

(pra quê assistir esse filme, gente?)

Um trailer deve ser tipo o cheiro de cebola e alho sendo refogados: antecipa um pouco do prazer da comida, enche a boca da gente de água, aumenta a fome mas não alimenta. O trailer bem feito tem até gengibre, o ruim passa do ponto, maior cheiro de queimado.

Pra não pisar na janta de ninguém na hora de fazer trailers é bom lembrar principalmente do que nunca deve ser feito: contar o filme inteiro (sério).

O mesmo pra textos né?

maozinha-2

Marcando as partes importantes

 

 

Mesmo que você não pretenda fazer um trailer nos próximos 20 anos (ou nunca), é bom que saiba, a lógica do trailer pode ser aplicada na sua vida! Em poucas palavras: saber sintetizar é muito importante!

Imagine que:

:: Você tenha que estudar e apreender 500 páginas de conteúdo em alguns dias.

::Você tenha que fazer uma apresentação sobre assuntos extensos e muito complexos.

:: Você tenha que passar informações e explicar muitas coisas em tempo reduzido.

Essas tarefas todas podem ser feitas de maneira prática se você souber sintetizar conteúdos. E sintetizar pode ser mais fácil se você seguir algumas dicas

  1. Conheça o conteúdo por inteiro! Não importa se filme ou texto, se você pretende fazer um resumo desse material, precisa conhecê-lo do início ao fim. Fazer rascunhos das ideias principais encontradas em cada parte da obra é uma boa maneira de começar a sintetizar.
  2. Delimite o assunto. Por mais abrangente que um conteúdo seja, nele existe sempre a ideia central ou ponto mais importante a ser exposto.
  3. Faça mapas mentais. Organizar informações de maneira visual facilita a organização de informações, ajuda na memorização de conteúdo e melhora o aprendizado.
  4. Faça seu “espectador” salivar. Crie conteúdos que sejam capazes de despertar o interesse e alimentar a curiosidade para o assunto abordado. Aquele famoso gostinho de quero mais.
  5. Crie palavras chave. Eleja as palavras que mais signifiquem aquele conteúdo para que elas norteiem suas anotações ou apresentações.

Outra boa dica para quem quer se tornar um jedi na arte das sinopses é começar a usar mais o twitter, que vem nos ensinando a falar tudo com  pouquíssimos caracteres, since 21 de março de 2006.

A dica mais importante e que não vai ser numerada é: Oh my Disney! (Esse cara, seja esse cara!) Esses serumaninhos resolveram fazer sinopses de animações da pixar em 140 caracteres (os mesmos míseros do twitter) ou menos e a coisa deu foi MUITO certo:

twitter_140_toystory-1

twitter_140_nemotwitter_140_monstersinc