O que é Design da Informação?

Atualmente, um dos maiores ativos da humanidade é a atenção. Sua atenção é mercadoria escassa, tem muita gente e empresa brigando por ela. Então, eu fico feliz que você esteja dedicando um tempo da sua vida para ler este texto. Digo isso por causa do infográfico abaixo. Todos os anos, empresas de consultoria fazem o levantamento da produção e consumo de dados da internet em um minuto. O de 2020 aponta a informação de que, diante de tantos estímulos, não é fácil manter a atenção das pessoas. Então, antes da gente começar a conversar sobre design de informação, quero agradecer pelo seu tempo e dizer que vai valer a pena passar por aqui.

Vivemos um contexto de excesso de dados, em que a informação se torna um recurso estratégico para a tomada de decisões e resolução de problemas. Como lidar com tantos dados, filtrar o que é relevante e transformar isso tudo em conhecimento? O design de informação pode ser uma resposta! 

Mas, afinal, o que é design da informação?

Oficina de Comunicação Criativa – Ideia Clara / Vale

Também conhecido como “infodesign”, o design de informação lida diretamente com a forma com que o conteúdo é apresentado às pessoas. Dá-se importância não só para o que se diz, mas também para como se está sendo dito, com o objetivo de potencializar a captação da mensagem.

Uma informação por si só – sem estrutura ou contexto – é apenas um conjunto de dados. Para transformar dados em algo que faça sentido, o design de informação trabalha de maneira harmônica com palavras e imagens. Rune Petterson defende que o principal objetivo do design de informação é a clareza na comunicação

Para alcançar essa clareza, não basta apenas juntar palavra e imagem – ou a imagem servir com adorno – é necessário um planejamento cuidadoso, focado no público que irá receber a informação. Produzir um infográfico sobre COVID-19 para médicos infectologistas é diferente de criar um panfleto sobre o mesmo tema para uma comunidades vulneráveis em Belo Horizonte (vamos trazer esse exemplo no final do texto). 

O design de informação é uma área relativamente nova e, apesar de estar mais vinculada ao Design, só funciona quando se abre a uma visão multidisciplinar, envolvendo conhecimentos de áreas como Psicologia, Educação, Ciência de Dados e Arquitetura da Informação. Essa integração de saberes permite não só atrair e reter a atenção de quem recebe a informação, como também atender ao objetivo de trazer clareza na organização e categorização de informações complexas. 

Design de Informação como área multidisciplinar. Fonte: Lucas Alves / Ideia Clara

Principais produtos

O infodesign pode ser aplicado em ambientes digitais e analógicos, desde que siga o processo de contextualização e planejamento do conteúdo a ser passado. Engloba princípios de interface gráfica e produção de conteúdo que vai impactar o público alvo, trazendo informações visualmente ordenadas que podem orientar melhores tomadas de decisão. Listamos alguns produtos que envolvem o design de informação:

Infográficos

Estáticos ou animados, os infográficos apresentam, em uma página, informações por meio de recursos gráficos (fotografia, desenho, diagrama estatístico etc.). Textos resumidos, dados numéricos e ilustrações são usados para dar sentido a informações complexas. Veja um exemplo de infográfico que criamos para explicar conceitos em um relatório de biodiversidade da BPBES:

Infográfico BPBES – Os caminhos para a água. Fonte: Lucas Esteves / Ideia Clara

Vídeos animados

Através de técnicas de storytelling e somando imagem, movimento e som, esse produto potencializa o aprendizado das pessoas, pois cada parte une estímulos visuais e auditivos na condução do raciocínio. Os vídeos explicativos animados podem ter estilos diferentes, mas uma coisa eles têm em comum: organizam a informação de forma dinâmica.

Vídeo explicativo produzido com o Banco Mundial, sobre pesquisa de estratégias de enfrentamento à COVID-19.

Facilitação Gráfica

Processo de tradução visual em tempo real. A pessoa responsável pela facilitação gráfica organiza o que está sendo dito pelas pessoas em grandes painéis com desenhos e textos. Na foto a seguir você pode ver exemplo da facilitação gráfica sendo feita:

Apresentações

Mais comuns no meio corporativo e educacional, as apresentações podem ser boas ferramentas de transmissão de conhecimento, quando trazem elementos de design de informação. Na maioria das vezes, depende da condução de uma pessoa. Olha só alguns slides de uma apresentação sobre Desenvolvimento de Líderes:

Mapas

Usamos mapas para nos orientar desde que saímos em navios. Bons mapas trazem camadas de informação e legendas que orientam o público. No mapa abaixo, um exemplo clássico de infodesign. O mapa do metrô de Londres criado por Henry Beck em 1933 ainda é referência para a organização de rotas. 

Mapa do metrô de Londres. Henry Beck, 1933.

Placas e Sinalizações

Uma boa sinalização é aquela que cumpre sua função de informar as pessoas. Seja para ir ao banheiro em um grande shopping ou para alertar sobre riscos de segurança, esses recursos precisam levar em consideração o contexto e como as pessoas vão receber a informação. No exemplo abaixo, você pode ver a sinalização criada pelo estúdio mineiro Greco Design para o campus Buritis do UniBH. Levando em consideração o nome do bairro, que traz em sua história a presença de árvores de buriti, o estúdio criou um conceito em que o campus era separado por quatro bairros: Veredas, Raízes, Carandá e Palma. Cada bairro tinha sua cor e padronagem específicas, para facilitar o entendimento geográfico de quem entra no campus. 

O conceito foi tão bem construído, que até criamos um vídeo para contar o processo:  

Vídeo explicativo sobre nova sinalização do Campus Buritis – UNIBH / Greco Design / Ideia Clara

Manuais e cartilhas

Informações técnicas podem ser potencializadas pelo infodesign, aumentando o entendimento dos procedimentos e engajamento dos participantes. Manuais podem contar com esquemas que explicam a montagem de equipamentos ou procedimentos de segurança, por exemplo. Códigos de ética e conduta muitas vezes trazem conceitos abstratos, que podem ser melhor entendidos com o suporte de recursos visuais. A IKEA, empresa de móveis sueca, se tornou referência por trazer o design de informação e o humor para seus manuais de montagem: 

Fonte: https://www.ikea.com/

Se você tem, em sua empresa, um conteúdo complexo para quem é leigo, o design de informação pode te ajudar a organizar as ideias e levar para seus ambientes digitais (e analógicos) um meio mais simples de se comunicar para quem realmente interessa.

Lucas Alves é psicólogo por formação e artista por paixão. Especialista em Psicodrama Sócio Educacional e Organizacional, cria materiais educativos e presta consultoria para grandes organizações. Ilustrou o livro “Gerenciamento de Projetos Fora da Caixa”, (Fabiana Bigão/Alta Books). Facilitador gráfico, desenvolve cursos de pensamento Visual, storytelling e metodologias criativas para diversos contextos. Em 2016, participou como speaker do TEDx PedradoPenedo, com o tema “Desenhando Empatia”.

Onde saber mais

R.L. Ackoff. From Data to Wisdom, Journal of Applies Systems Analysis, Volume 16, 1989 p 3-9

R. Petterson. It Depends: ID – Principles and guidelines. 4. ed. 2012.

Sociedade Brasileira de Design da Informação.

Desenvolva a criatividade da sua equipe:

Vamos trocar uma ideia?

Menu